18.1.11

fecho os olhos e lembro

em pouco tempo

entre barba e whiskies

o azul do meu peito

refletido

no seu pensamento

lento

tento tento

ler lábios molhados

em humor seco

guiando

all star branco

cabeça pra baixo,

não não

seu beijo perturba

me solta me pega me fala

de onde é o sotaque

pra onde vai a memória

sorriso pequeno

toque delicado

me diz seu sobrenome

quero quero

ver você por dentro

fecho os olhos e lembro

durante muito tempo,

2 comentários:

β disse...

Volta e meia eu passava aqui nesse papel pequeno que, de pequeno, não tem é nada. Sou do tempo do "malagueta e morfina", quando meus olhos sedentos e admirados vinham passear pela alma de Milene e, de longe, encontrar-se com ela. Fazia tempo que a alma dessa branca de olhos rasgados, alma de mãe doceira, capricorniana mais parecida com leonina do que qualquer outra coisa, não subia à flor da pele por aqui. E cá eu vinha, quase todos os dias, para encontrar Milene, ler em suas entrelinhas o sol que ela emite e a poesia emocional e linda que ela dedilha e eu nunca vou conseguir escrever e que sempre, desde os nossos 15 anos, admirei. Essa de hoje, depois de tanto tempo com o espírito e o coração fechados para balanço, me mostrou que Milene é exatamente o que eu sempre vi dela, mesmo à distância, mesmo não vendo: um raio de sol entre as nuvens, um jorro de sentimentos, ainda que conflituosos, uma mulher pronta e louca para se doar num mundo de gente louca que não sabe receber nada. E a poesia dessa imensa miss sunshine, inacreditavelmente, não enferruja. Ela pode passar séculos sem tocar na pena; no momento que a mergulha na tinta, a pérola brilha, tesouro raro que Milene produz. Eu te amo, garota. E amo o papel enorme que você escreve e representa no cosmo.

Mi disse...

poxa, sabe... eu só penso: o que seria da gente sem amigos? e o que seria de mim sem vc, Roberta?
vc tem sido sensacional na minha vida, uma baita raio de sol, vc sabe. tem sido o meu sopro diário.
eu realmente acho que há uma natureza profunda que a gente não pode lutar contra. a minha natureza mais profunda é essa de me mostrar, de ser verdadeira e de me doar. e acredito que seja a sua tbm. a gente só pode controlar quem merece receber nossa verdade e doação, não é? sejamos mais espertinhas. rsr

foi maravilhoso receber esse comentário. =)