5.4.09

esquisito lembrar - só - agora de seus cantos (de unha) ruídos -

pegadas da dúvida tímida e da teimosia em negar ciúme -

agora – só – faz (sentido) pouco que descobri seus dedos

possessivos parando o vento por não serem únicos a marcar meus

fios com nós ruivos

arrepios,

5 comentários:

Ademar Oliveira de Lima disse...

Estive por aqui conhecendo o seu blog!
Abraço Ademar!!!

moacircaetano disse...

Adoro suas sempre doces belas estrelas palavras!

L. disse...

tão detalhe e tão bonito.

carolina disse...

sabe aquele texto que cada vez que você lê tem um sentido novo e incrivelmente mais bonito? é bem isso por aqui. lindo demais~

Caio Cezar Mayer disse...

Enquanto ciumento chato, vou recomendar o poema para minha mulher!

Bjo