15.2.09

teus fiapos poucos
todos pro alto suados
acabam em cachos
pequenos dentes entre
assanhados espaços
soltam barulhos
engraçados canção
e dança disritmados
bailam olhos castanhos
alegres piscam cílios
invejados
beijo tuas bochechas
rosadas abraço
apertado gargalho
alto te jogo
boneca mimada

Maria Júlia me faz
uma dinda-palhaço.

6 comentários:

Caio Cezar Mayer disse...

è, as crianças podem fazer issocom a gente mesmo!

Anônimo disse...

cinemanimam as peças
pincelam circos
pregam peças
magicalizam a vida
carregam sonhos
bailarizam firmes
giram sóis
giram ruas
saltam bancos
dedilham sons
teatralizam a vida

repousam na pureza
choram lembranças
amam a vida-cor.

Andrea Cristina disse...

Que lindo, Mi!!!
Adorei!!!!
Tem que guardar p/ ela ver qdo crescer!!!!

Larissa Minghin disse...

Também tenho uma Maria que me faz tão bem! Queridas, queridas, são amigas tão grandes (de não caber no tamanho)!

Feliz com o texto, lembrou minha Maria! =)

J.F. de Souza disse...

Qui poeminha bunitinho, bilu bilu bilu... =P

Legal! =)
------------------------------------
Tô gostando de conhecer o blog! Acho que já havia vindo aqui antes, mas só dei uma olhada rápida nele... Agora, com um pouco mais de tempo, tô dando un vistazo mais aprofundado por aqui! =)

=*

Anônimo disse...

incrivel como seu poema tao breve presenteia a sensacao de ter vivido aquilo que viveu quem escreve...

beijuuu, kiko
kikonazareth@gmail.com