4.10.07

Colecionando definições (experimentais) I:

Ela disse, disse e desdisse, falava há meia hora.
Ele escutava, parado, olho perto, olhar no horizonte.
Ela olha pra ele e, titica!!, não há reflexo do que disse.
Ele “Entendi...”.
Mas é só isso??, ela pensa, É só entender sem luta? Está estampado na testa dela um “e aí? f a z algo, caceta!!”
Ele repete “Tá, entendi...”
Tudo nela murcha, seca... “é isso mesmo, tolinha, aceita: é fácil entender quando não há nada mais que a razão.”

Eles se af a s t a m
(ponto final??)

Não há o que ver, nem lá nem cá: a mancha da íris desertificou-se por uma fala crua.
[Redundância: como é árido perder a capacidade de chorar.]

Chorar:
verbo intensitivo indireto:
suar homeopatia após muito malabaris interno; condensar ardor; expor o avesso óbvio.

3 comentários:

Anônimo disse...

Que texto árido, Milene! Lindo e árido!

Mas vocÊ já se perguntou se de fato ELE se afasta?!

Anônimo disse...

Ele está a espreita do movimento da felina!

Sweet Pimenta | Milene Portela disse...

na verdade é a felina que tem um hábito polêmico: ela afasta tdo mundo (ainda mais ele, que nem entende de psicologia "gatuna"). =P